Main menu

Americas Quarterly dá destaque aos principais cinco caça-corruptos da América Latina

AQ's Corruption Issue 1, 2016 Cover

February 01, 2016

Sérgio Moro, juiz que trouxe à tona o escândalo da Petrobras no Brasil, e Thelma Aldana, procuradora-geral da Guatemala, estão entre os perfis apresentados pela revista. Um grande evento em Nova York, no dia 09 de fevereiro, reunirá pela primeira vez muitos desses líderes.

Nova York, 1 de fevreiro de 2016—A corrupção é um grave problema nas Américas há vários séculos. No entanto, algo verdadeiramente diferente — e positivo —está acontecendo na região. A edição mais recente da Americas Quarterly (AQ), a principal publicação sobre política, negócios e cultura da América Latina, destaca como uma nova geração de promotores e ativistas está fazendo um progresso histórico na luta contra a corrupção — e prendendo os responsáveis, independente de quão poderosos eles sejam.

AQ identificou aos Principais Cinco Caça-Corruptos da América Latina e preparou um perfil sobre cada um deles, contando suas histórias de persistência, astúcia e coragem diante do grande risco pessoal que assumem. Esses líderes vêm de países como Brasil, México, Guatemala, Colômbia e Peru e exercem diferentes cargos, tais como promotor, ativista e juiz. Nenhuma outra publicação explorou com tanta riqueza de detalhes como o movimento de combate à corrupção está se espalhando por grande parte da região, e quais são suas consequências. “Se essa tendência continuar, ela se estabelecerá como uma das mudanças mais importantes para a América Latina no século XXI”, escreve o editor-chefe da AQ, Brian Winter.

Americas Quarterly diz que aos Principais Cinco Caça-Corruptos da América Latina são:

  • Sérgio Moro, juiz federal que lidera a operação “Lava Jato”, investigando e movendo processos em um enorme escândalo de suborno e corrupção na empresa estatal de petróleo Petrobras.
  • Iván Velásquez, promotor colombiano que lidera a Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (CICIG), cuja missão é combater a corrupção nas esferas mais altas do governo.
  • Thelma Aldana, procuradora-geral da Guatemala que ajudou a liderar a ação judicial que levou à renúncia e prisão do presidente do país, Otto Pérez Molina.
  • José Ugaz, jurista peruano e presidente global da organização Transparência Internacional.
  • Viridiana Ríos, Ativista e acadêmica mexicana, ex-líder da organização ativista México ¿Cómo Vamos?, que ajudou abrir o caminho para que o Congresso mexicano aprove uma ampla lei anticorrupção.

Este é um momento divisor de águas para a justiça na América Latina, diz Winter. "Ele fará com que o mundo dos negócios seja mais transparente e mais aberto a novos participantes. E fortalecerá as democracias, ajudando a reduzir a pobreza e a desigualdade, à medida que os bilhões de dólares desviados pelos canais da corrupção a cada ano sejam redirecionados para os mais necessitados".



Quatro fatores estão por trás do movimento de combate à corrupção, diz Winter: uma população encorajada pela reforma democrática, uma nova geração de promotores ativistas, uma classe média em ascensão e a adoção generalizada das redes sociais. "As tendências que favoreceram a investigação de Aldana na Guatemala foram praticamente as mesmas que apoiaram o trabalho do juiz Sérgio Moro no caso da Petrobras, a mais de 5 mil quilômetros de distância", escreve Winter na primeira edição da Americas Quarterly de 2016.

Leia aqui os perfis completos dos Principais Cinco Caça-Corruptos da América Latina.

EVENTO AO VIVO:
Em um evento sem precedentes, Iván VelásquezThelma AldanaJosé Ugaz, juntamente com o procurador brasileiro Antonio Carlos Welter, membro sênior da operação “Lava Jato”, que investiga crimes na Petrobras, reunirão-se em Nova York, na Americas Society/Council of the Americas na terça-feira, 9 fevereiro, das 18h00 às 19h30. Personagens centrais de um momento anticorrupção histórico na América Latina, eles participarão de um painel de discussão, contando suas histórias pessoais, os desafios que enfrentam e a forma como os superam de forma a combater crimes e abusos do governo que, no passado, teram sido tolerados.

O evento será transmitido ao vivo, marcando o lançamento da primeira edição Americas Quarterly de 2016, “Corruption Busters: Behind Latin America’s Historic Crackdown” (Caça-Corruptos: por trás do movimento histórico de combate a crimes na América Latina), que também inclui artigos sobre novas ferramentas cibernéticas usadas para identificar — e punir — casos de suborno, e como o lucrativo mundo da recuperação de ativos está ajudando governos a rastrear fundos perdidos para a corrupção. A primeira edição completa da Americas Quarterly de 2016 estará disponível a partir de 9 de fevereiro por meio do site americasquarterly.org

Imprensa, favor entrar em contato com:
Adriana La Rotta | alarotta@as-coa.org | 1-212-277-8384
Kariela Almonte | kalmonte@as-coa.org | 1-212-277-8333

Americas Quarterly (AQ) é a principal publicação dedicada à política, os negócios e à cultura no Hemisfério Ocidental, com especial foco na América Latina. Fundada em 2007 em Nova Iorque, a premiada revista e seu site é lida por um extenso público interessado na região. Entres os leitores da AQ estão os principais tomadores de decisão em Washington, Brasília, Cidade do México e outras cidades; executivos de grandes empresas latino-americanas e multinacionais na lista Fortune 500; líderes de opinião de universidades e meios de comunicação; e uma ampla gama de leitores comprometidos com a América Latina. Entre os membros do Conselho Editorial da AQ estão os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Ricardo Lagos, Ernesto Zedillo e Alejandro Toledo, bem como as principais vozes no mundo dos negócios, jornalismo, finanças e academia. Americas Quarterly é uma publicação independente da Americas Society/Council of the Americas, entidades que há mais de 50 anos se dedicam ao diálogo em nosso hemisfério.