AQ portuguese

Share

A nova edição do Americas Quarterly examina como o desenvolvimento na Amazônia pode ser sustentável e viável 

A revista apresenta novas iniciativas que podem usar com responsabilidade os recursos da floresta par o benefício de seus 35 milhões de habitantes, sem recorrer ao desmatamento.

Nova York, NY, 12 de maio — “A ideia de desenvolvimento sustentável muitas vezes gera ceticismo, e com razão”, escrevem os editores do Americas Quarterly (AQ) na nova edição da revista, publicada quarta-feira, que destaca a sustentabilidade desenvolvimento na Amazônia. Mas o desenvolvimento, eles escrevem, quando bem feito, mesmo em setores inesperados como a mineração, também pode ser a chave para preservar a floresta tropical e quebrar os ciclos endêmicos de pobreza e desemprego: “Governos, empresas e sociedade civil devem trabalhar juntos para ajudar a construir um círculo, em que as comunidades amazônicas vêem o valor da floresta, trabalham para preservá-la e se beneficiam diretamente de sua generosidade ”. A edição analisa como o Brasil e os países vizinhos podem se tornar em “superpotências verdes” aproveitando a riqueza natural da floresta tropical: “um modelo em que a floresta amazônica é tratada como um bem econômico único e de valor inestimável, ao invés de um obstáculo ao progresso ”, escrevem. “Esse tipo de negócio, se administrado da maneira certa, pode gerar milhões de empregos verdes dentro e fora da região”.

A edição traz casos de estudo de projetos viáveis que poderiam melhorar e expandir cadeias de suprimentos e a logística, exportações agrícolas e até mesmo tratamentos para glaucoma. Esses projetos ilustram como as novas tecnologias permitem que as riquezas naturais da floresta sejam melhor aproveitadas para cosméticos, farmacêuticos e alimentos como cacau, açaí e peixes, incluindo o enorme pirarucu da Amazônia, destacado na capa da revista. Esses conceitos podem ajudar os mercados a coseguirem trilhões de dólares por ano - especialmente porque são expansíveis.

Juliano Assunção, Cecilia Tornaghi, Beto Verissimo e Brian Winter explicam o que o pirarucu de 450 quilos pode nos dizer sobre o desenvolvimento sustentável na Amazônia.

Uma série de artigos de opinião analisam o que é necessário para tornar o desenvolvimento sustentável em uma realidade. Teresa Bendramini, da Sociedade Rural Brasileira, apresenta a visão dos grandes atores do setor agroindustrial, que também desejam o desenvolvimento sustentável. Elza Fátima Rodrigues, a nova coordenadora anti-racismo da cidade de Belém, conecta os pontos entre a gestão ambiental e o impacto que tem na vida real das comunidades afro-brasileiras na Amazônia. Flávio Dino, governador do Maranhão e chefe da Coalizão dos Estados da Amazônia, explica a missão do setor público para atrair investidores e desenvolver uma economia sustentável para a região.

A edição será acompanhada por eventos relacionados ao tema, incluindo um painel de lançamento virtual no dia 27 de maio “Tornando o desenvolvimento sustentável na Amazônia uma realidade”, com Bemol, Sociedade Rural Brasileira e Imazon. Saiba mais sobre eventos relacionados.

A edição especial será postada inteiramente online em americasquarterly.org na quarta-feira, 12 de maio. Veja o PDF.

Consultas de imprensa: Para mais informações, para solicitar entrevistas com os autores, ou para solicitar uma permissão de republicação, entre em contato com:

AS/COA Media Relations: mediarelations@as-coa.org

Americas Quarterly (AQ) é a principal publicação dedicada à política, negócios e cultura nas Américas. Revista e site premiados, AQ tem uma tradição orgulhosa de retratar a verdadeira América Latina, enquanto trabalha para promover seus valores fundamentais: democracia, crescimento econômico inclusivo e direitos iguais para todos os quase um bilhão de cidadãos do hemisfério. Tomando emprestado elementos de The Economist, Foreign Affairs e National Geographic, mas com foco na América Latina, AQ se dedica a cobrir a região em toda a sua diversidade e potencial. Os leitores de elite que definem a agenda da AQ incluem CEOs, altos funcionários do governo e líderes de opinião, bem como um público de interesse geral apaixonado pelas Américas. Lançado em 2007 e com sede na cidade de Nova York, AQ é uma publicação independente da Americas Society/Council of the Americas, que há mais de 50 anos se dedica ao diálogo em nosso hemisfério.